domingo, 5 de junho de 2011

O DIA EM QUE ABRACEI A MIM MESMO

O DIA EM QUE ABRACEI A MIM MESMO

Seus olhos me transbordaram de dúvida
Acho que ainda não cheguei lá
Mas estou no caminho

A cada dia o desafio me impõe a prova
Caminho na corda bamba
E sinto a bomba na minha garganta

Respiro

Percebo a pausa
E encaro o horizonte do meu longo caminho:
- Não desisto

São tantas cores distantes
São tantas formas constantes
São promessas que mereciam ser sentidas
E são espelhos do meu desejo

O toque comove
Me esforço para olhar ao meu redor:
Difícil

Vejo tudo aquilo que gostaria de engolir
Mas que não cabe na minha boca

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Ou não... Tanto faz.