sexta-feira, 22 de outubro de 2010

INDECISÃO

Nossa... Vocês nem imaginam! Essa é a quarta letra de música feita por mim. Foi escrita em 2007 e, também, o mais perto que eu jamais chegarei do parnasianismo. Dei uma acertadinha nela aqui, outra acolá e ela está pronta - até eu mudar de idéia com outros ajustes. Nossa... Esse foi um marco para mim como letrista. Muito massa rever essa letra agora. Simplesinha, mas trabalhada: Indecisa. Talvez eu ainda faça alguns ajustes, mas talvez não. Caramba, quanta indecisão! Isso porque eu me achava conciso e decidido. Ou talvez não...

INDECISÃO

Lágrimas de dor que puxam o anzol
Fazem-me perdiz e meu raio de sol
Se amo meu amor o teu lembra formol
Riscado como giz num mar de etanol

Por isso cada dia fica mais azul
Sinto-me um herói:
- Sentes minha cruz

Por isso cada dia fica mais azul
Não sabes como dói:
- Ainda existe luz

Tu és uma flor com dentes de cerol
Tens cores de anis teus olhos de farol
És o meu terror que envolve em cachecol
Feito como a fiz em lento caracol

Por isso cada dia fica mais vermelho:
Sinto-me um vilão
Em um grande devaneio

Por isso cada dia fica mais vermelho:
Chegam como vão
E acertam-me em cheio

terça-feira, 19 de outubro de 2010

TALVEZ DE DISTRAÇÃO

Poema Under velha guarda.


TALVEZ DE DISTRAÇÃO

Estou preso aos seus braços feito caneta escrava:
Um par de perfeito artifício para concretizar o seu perfume
Estou jogado a um estado de mercê absoluta
Onde meu corpo se apresenta estático, porém relaxado
Talvez seja servo por ingratidão
Talvez seja cego por ter em vista o seu rosto:
Me despeço, então, sem mais despesas
Talvez tenhamos sido uma contradição espaça e dispersa
Talvez tivéramos nos distraído ao sermos nossas próprias distrações
Talvez nós nos desdobramos em um deslize sem perdão
Enquanto as faltas que ficam e sobram não sobrevivem por motivo
Mas sim pela incerteza de um talvez de distração.