quinta-feira, 29 de julho de 2010

CANÇÃO DA INFÂNCIA (Tempo e Lembrança)

CANÇÃO DA INFÂNCIA (Tempo e Lembrança)

Vivemos em qualquer lugar enquanto a viagem é sem direção
Nenhuma luta faz sentido entre rostos sem expressão
Onde não o vejo e ninguém vê

Ao parecermos diferentes somos todos iguais
Onde não me vejo e ninguém te vê

Mas de graça ou de brinde sempre existe um leque
Que espanta fantasmas de um pobre moleque
Como a flor de giz que você sempre riscou
Mas nunca entregou à ninguém

Tempo e mais tempo
Lembrança e lembrança
Não olhe para trás

Nossos olhos não precisam mais chorar solidão
Onde estamos cegos e os outros também estão
Porque, de cima, as luzes da cidade são como estrelas no chão

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Ou não... Tanto faz.