sexta-feira, 11 de junho de 2010

O DENTE DE OURO (As Manchas de Inveja)

versos antigos

O DENTE DE OURO (As Manchas de Inveja)
(25-26/12/08)

Páginas em branco
Manchadas com tinta preta
Em cima da mesa
Não mancharam o lençol
Que eu manchei de inveja

Envolto por meu manto
Que o sangue manchado enfeita
A luz amarela acesa
Manchou meu sofá espanhol
Que eu manchei de inveja

Eu me faço o santo
Que manchou o coração da moça feita
Na cama avessa
Eis a marca do meu rol
Que eu machei de inveja

Passado o passado eu ando
Depois de manchar o que não tenta
Com meus dentes na cabeça:
Dentes de ouro não macharam o sol
Que eu manchei de inveja

Um comentário:

Comente! Ou não... Tanto faz.