quinta-feira, 5 de novembro de 2009

ESTÓRIA URBANA ENTRE ESCOMBROS

Poesia sobre a sujeira das cidades.
Finalizando com uma confissão, porque eu vivo à moda mista entre o vagabundo e o artista.

XD

ESTÓRIA URBANA ENTRE ESCOMBROS

Atravessei a avenida paulista
Feito um ciclista que andava por aí
Quando vi onde cansava minha vista
Descobri o que estava errado bem aqui

Faltava cor e tranqüilidade
Na cidade que já acordava para suar
O tempo vinha e passava em parte
Como uma vinha envelhecida secular

E o cinza investia sua lança
Feito uma dança que dançava sem seu par
Suas tranças escondiam sua pança
Que engolia praças e engordava o seu olhar

Até o dia em que essa aberração enorme
Descriou seu criador sem deixar pista
Ao se tornar defunto na maça disforme
À moda mista entre o vagabundo e o artista

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Ou não... Tanto faz.