quinta-feira, 5 de novembro de 2009

FALSIFORME

E sim, o "S" é proposital. Não é com "C"
É um dos raros casos - assim como a Balança da V&M - que era para ser uma letra e acabou virando poema. Gosto bastante dela. =)

Possui trecho de "Dom Casmurro" do Machado de Assis em aspas.

FALSIFORME

A seriedade das trevas
É envolta por grande paixão
Com cacos de amor
E estilhaços de esperança

Quando as sete cores do arco-íris
São preto, branco e cinza
Existir não parece ser tão claro
Como claro já se foi

Quando os mesmo truques de amor já não seduzem
É porque o comodismo já se instalou
E a ilusão não está mais presente
Como um dia já esteve

Não há mais quadros na sala de estar
Nem mais carros na rua
Não há mais ninguém ali

Você só vê a sombra de uma abominação velha
Uma velha abominação que arde devagar
Dizendo que o sol um dia queimou
Seu coração sem amanhã

Falta do que fazer pode matar
E alguns costumes também

Voltemos às origens:
A luz que criou sombra jaz num asilo:
“A terra lhes seja leve
Vamos à história dos subúrbios”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Ou não... Tanto faz.