domingo, 20 de setembro de 2009

A MÍMICA E O VENTO

A MÍMICA E O VENTO (21/06/09)

Sentidos não passam da ardência
Nas chamas soltas na decadência
Que aguardam o pulsar do coração
Como se esperassem uma explosão
Então essa é a experiência
Que atravessa nossa essência
De uma estação qualquer
Na ambição do que se quer

Como se não houvesse visão
Da minha antiga solidão
Como se você fosse a evasão
De não fazer minha vida em vão

Se o convite não passa da presença
Eu faço meu jornal e minha imprensa
Porque as críticas são o alimento
De todo o meu sentimento
Nossa paixão é tão intensa
Que faz dela nossa sentença
Como uma mímica no vento
Que me mostra o que eu invento

Você instiga minha sensação
De querer minha vida são
Mudando o mundo onde estiver
Em alguns momentos tão mulher
E em outros tão criança
Trazendo assim a esperança
De construir nossa paixão
E curar meu coração

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Ou não... Tanto faz.